Foi um milagre, diz homem que ficou 60 horas no fundo do mar

Durante 60 horas no fundo do mar, homem ficou orando e lembrando de textos bíblicos
Um acidente com um navio que naufragou na Nigéria em maio de 2013 na época não teve grande repercussão. Contudo, o vídeo do resgate que foi divulgado esta semana pela mídia mundial já lhe rendeu a denominação de “vídeo do ano”.
O motivo é que enquanto o mergulhador procurava os corpos dos 12 passageiros que morreram afogados, surpreendentemente encontrou o cozinheiro do navio vivo.
Harrison Okene, 29, ficou três dias respirando o oxigênio de uma bolha de ar que ficou presa na cozinha quando o navio virou. Mesmo sem comer, ele tinha líquidos disponíveis e por isso sobreviveu por mais de 60 horas no fundo do mar.
Conta que estava tudo bem no rebocador “Jascon-4″ até que uma grande tempestade começou a jogar o navio de um lado para outro. “Três rapazes estavam na minha frente e de repente a água entrou muito forte. Vi o primeiro, o segundo, o terceiro sendo levados. Eu sabia que esses caras já estariam mortos”, lembra.
Seu corpo foi arrastado pelas ondas ao longo de uma estreita passagem entre o banheiro e o quarto.  Ele passaria três dias sozinho e no escuro. “Eu não conseguia ver nada, mas percebia que os corpos da tripulação estavam nas proximidades. Eu podia sentir o cheiro deles. Vieram os peixes e começaram a comer os corpos. Eu podia ouvir o som. Foi um horror”, desabafa.
Como era de se esperar, a descoberta causou um grande susto ao grupo de resgate enviado pela petroleira Chevron e pela Ventures África Ocidental, proprietários do navio. O interesse era apenas retirar os corpos.
O “vídeo do ano” mostra quando a mão de Okene toca o mergulhador que filmava a operação. Depois do susto, ele conversa com o mergulhador e conta que era cozinheiro. Ouve-se a risada e o comentário “Eles sempre sobrevivem”, numa referência ao caso do cozinheiro que sobreviveu ao naufrágio do Titanic.
Durante os últimos dias, Okene foi entrevistado por muitos órgãos de imprensa de todo o mundo. Cristão, ele aproveitou para dar um testemunho de fé. “Orei cerca de cem vezes. Quando eu estava cansado, começava a invocar o nome de Deus. Eu estava pedindo por sua intervenção. Comecei a relembrar dos textos que li antes de dormir. Eram da Bíblia, do Salmo 54 ao 92. Minha esposa me deixou os versos para ler naquela noite, quando me ligou antes de eu ir para a cama”, conta Okene
O cozinheiro disse que não conseguia dormir e passou quase o tempo todo se preocupando com o que tinha acontecido com seus colegas e com o que poderia acontecer com a sua esposa. Além de passar frio e com fome, Okene temia que tubarões ou barracudas entrassem no lugar que ele estava. Também não tinha ideia quanto tempo duraria o ar de sua “bolha”.
Conta ainda que ouvia as equipes de resgate e bateu nas paredes, mas ninguém o ouvia. De repente, percebeu movimento próximo onde ele estava. Por isso, decidiu pular na água. “Quando eu percebi onde ele estava, toquei o mergulhador, encostei na sua cabeça e ele ficou chocado… ele estendeu a sua mão e tocou na minha”, relata.
Sua esposa Akpos, agora ao seu lado, conta que nem sabia que o navio tinha naufragado. Ela havia perdido seu celular naquele dia e ninguém conseguiu contatá-la. “Apenas atribuímos tudo à graça de Deus”, comemora. O marido resume “Foi um milagre pois eu chamei por Deus, Ele me ouviu e me ajudou”.

Fonte: Gospel Prime


0 comentários: